publicidade
Início Amazonas Governo oferece assistência jurídica e recompensa a policiais

Governo oferece assistência jurídica e recompensa a policiais

Acordo foi firmado entre DPE-AM e Governo do Estado, que anunciou projeto que cria recompensa a policiais por apreensão de armas  

O governador Wilson Lima assinou, nesta segunda-feira (29/04), na sede do Governo do Estado, no bairro Compensa, zona oeste de Manaus, Convênio de Cooperação Técnica com a Defensoria Pública do Estado do Amazonas (DPE-AM) para oferecer assistência jurídica integral e gratuita às forças policiais do Estado. Na ocasião, também assinou mensagem que será enviada para apreciação da Assembleia Legislativa do Estado (ALE-AM) estabelecendo recompensa financeira aos policiais civis e militares que apreenderem armas de fogo ilegais.

“Isso é compromisso do Governo do Estado do Amazonas. Não vou medir esforços, dentro do que o limite orçamentário me permitir, para garantir esse compromisso”, afirmou Wilson Lima.

O Núcleo de Proteção Jurídica ao Policial em Atividade (NPJPA) vai garantir aos agentes da segurança pública do estado, que estejam em atuação funcional, assistência jurídica ininterrupta, 24h por dia, durante os sete dias da semana, em regime de sobreaviso. Farão parte do núcleo defensores públicos, delegados e assessores jurídicos da Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM).

Mensagem governamental – A mensagem governamental assinada pelo governador do Estado, que será enviada para apreciação da Assembleia Legislativa do Estado (ALE-AM), prevê o pagamento de recompensas que variam de R$ 300 a R$ 1.000 aos policiais civis e militares que apreenderem armas de fogo ilegais. “Preciso de uma tropa motivada, que esteja na rua para dar resposta necessária ao cidadão”, afirmou o governador Wilson Lima.

Cada arma curta apreendida valerá R$ 300, arma longa (que não seja fuzil e metralhadora) R$ 500 e metralhadora e fuzil R$ 1.000. “É uma das formas que o governador trouxe para que nos pudéssemos baixar os índices de ocorrências policiais na cidade.

Histórico é oposto

No dia 24 de Feveriro de 2019, um policial civil e um policial militar foram presos com oito tabletes de drogas e armas na Avenida Getúlio Vargas, Centro de Manaus.Os suspeitos foram presos e encaminhados para o 1º Distrito Integrado de Polícia (DIP), para os procedimentos cabíveis. Por meio de nota, a Secretaria de Segurança- Pública do Amazonas (SSP-AM) informou que a Corregedoria Geral do Sistema de Segurança deve abrir um Procedimento Administrativo Disciplinar (PAD) para avaliar a permanência dos policiais nas corporações.

Na terça-feira dia 5 de março deste ano, por volta das 5h30, nas proximidades da Manaus Moderna, na Zona Sul de capital, seis homens foram presos e dois menores apreendidos com 29 quilos drogas, entre skunk e cocaína, pistolas ponto 40, munições, veículos, além de uma balança de precisão e material para embalo da droga. De acordo com o delegado Sinval Barroso, diretor do Departamento de Repressão ao Crime Organizado (DRCO), dois sargentos da Polícia Militar do Amazonas faziam parte da organização criminosa, Hamilton Pereira de Almeida, de 38 anos, e  Miquéias Costa Sousa, de 32 anos. “Os outros presos eram as mulas desses sargentos que traziam do interior o material e quando chegavam aqui repassavam para outros traficantes”, explicou o delegado.

No dia 9 de Abril de 2019,  Um policial militar lotado no Comando de Policiamento Metropolitano (CPM) e um jovem foram presos suspeitos de integrar uma quadrilha de roubo a pertences deixados no interior de veículos em Manaus. O bando utilizava o equipamento chamado “Chapolin” para abrir os carros e roubar.

um veículo roubado e usado no crime foi interceptado no bairro Petrópolis, Zona Sul. Dentro dele havia um PM – que conduzia o carro – e o filho de outro policial.

Na casa do policial dono do veículo havia um cofre com cinco armas e um moto sem placa e com registro de furto. O material foi apreendido pela Polícia Civil.

O policial que estava com o jovem dentro do veículo foi preso em flagrante. Eles irão responder por receptação. O dono do veículo será indiciado e vai responder a um inquérito policial.

Na última terça-feira (23), o policial militar Thiago Torquato Herculano foi preso durante um procedimento de flagrante, no 19º Distrito Integrado de Polícia (DIP), bairro Santo Agostinho. O caso, segundo informações da polícia, aconteceu quando o PM levou para a delegacia um homem identificado como José Carlos Alves de Freitas, 44 anos, detido por estar com documento falso.

A polícia informou que o PM, juntamente com outro policial, prendeu José Carlos em uma abordagem de rotina e, ao verificar os documentos do mesmo, constatou que eram falsos. Ao chegar na delegacia para iniciar os procedimentos na unidade policial,  foi constatado que Herculano (o policial) tinha um mandado de prisão em aberto desde 2018.

Em 2014, Herculano e mais dois policiais militares foram acusados de sequestrar um padeiro e pedir resgate de R$ 50 mil. O caso aconteceu na Comunidade Fazendinha, Zona Norte da cidade.

Na época, os familiares da vítima disseram para a polícia que os policiais invadiram a casa do padeiro e se identificaram como policiais civis da extinta Delegacia Especializada em Prisão e Repressão a Entorpecentes (Depre).

Adriano Santos/Portal Politizei

*Com informações da Secom/G1/Portal Acrítica

publicidade

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

×

Olá!

Fale agora mesmo com nosso atendimento.

× Como posso te ajudar?
Sair da versão mobile