Ministério da Saúde abre processo de contratação de médicos para o Amazonas

Médicos, enfermeiros, fisioterapeutas e farmacêuticos de todo o país podem se candidatar.

2
Agentes da saúde no AM
Foto: Internet

MANAUS – O Ministério da Saúde, deu início a processo para contratação de médicos, enfermeiros, fisioterapeutas e farmacêuticos para trabalharem no atendimento a pacientes de Covid-19 no Amazonas. A contratação é temporária, por três meses, e podem participar profissionais de todo o país, embora o MS dê prioridade aos candidatos do estado. Os salários variam de R$ 4,7 mil a R$ 15 mil, dependendo do plantão.

Os critérios estabelecidos pelo Ministério determinam que o candidato não pode ter mais de 59 anos e também não pode ser portador de doença crônica, ou seja, que não pertençam aos grupos de risco da Covid-19. O Ministério pede ainda que sejam profissionais com experiência.

Apesar do processo ser à nível nacional e disponibilizado pelo Ministério da Saúde, a contratação será feita pelo Governo do Amazonas e os benefícios de responsabilidade da Secretaria de Saúde do estado (SES-AM). Será oferecido vale-alimentação de R$ 500.

Prezado(a) Profissional da Saúde, o Ministério da Saúde, por meio da Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde (SGTES), comunica o convite do Governo do Estado do Amazonas para atuação no enfrentamento à COVID-19. A contratação temporária será realizada pelo Estado do Amazonas em caráter excepcional, por 90 dias”, diz a publicação feita no ‘FormSus’.

O processo de seleção considera a experiência dos profissionais. Entre as exigências está experiência em terapia intensiva e formação em uma das seguintes áreas: terapia intensiva, medicina de urgência e emergência, anestesiologia, clínica médica, cirurgia geral, cardiologia, pneumologia, nefrologia, neurologia, reumatologia, gastroenterologia, geriatria, infectologia e oncologia;

O médico também deve possuir especialização ou residência ou título de especialista emitido pela Associação Médica Brasileira nas áreas de Terapia Intensiva ou Medicina de Urgência e Emergência; experiência em clínica médica e formação em uma das seguintes áreas: clínica médica, cardiologia, pneumologia, nefrologia, neurologia, reumatologia, gastroenterologia, geriatria, infectologia e oncologia.

Comentários