David Almeida suspende atividades do carnaval de 2021 em Manaus

Escolas de samba entraram em consenso e decidiram não realizar o carnaval em 2021.

14
Foto: internet

MANAUS – O prefeito de Manaus, David Almeida (Avante), anunciou na noite de segunda-feira (8), que as atividades do carnaval 2021 estão suspensas na capital amazonense por causa da pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

Ele deve assinar e publicar o decreto para suspender o carnaval em definitivo nesta terça (9).

O governador do Amazonas,Wilson Lima (PSC),  suspendeu o ponto facultativo do carnaval devido a Covid-19 no dia 21 de janeiro. Segundo Lima, é uma tentativa de impedir aglomerações de foliões e, consequentemente, diminuir a taxa de transmissão da doença.

Não haverá feriado por conta do Carnaval. Essa é uma medida simbólica para evitar aglomerações, para evitar que as pessoas viajem ou tomem algum outro tipo de iniciativa neste sentido”, explicou.

Antes do anúncio, escolas de samba como Mocidade Independente de Aparecida, Reino Unido da Liberdade e A Grande Família, que fazem parte do Grupo Especial, entraram em consenso e decidiram não realizar o desfile este ano.

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (DEM) também suspendeu as atividades carnavalescas na cidade carioca, considerada o maior carnaval do Brasil.

Números

O Amazonas teve uma queda nos casos confirmados por Covid-19. Segundo a Fundação de Vigilância em Saúde (FVS), foram registrados 919 novos casos de Covid-19, totalizando 283.658 casos da doença no estado, sendo 128.536 em Manaus e 155.122 no interior.

Também foram confirmados 113 óbitos por Covid-19, sendo 38 ocorridos no dia (7) e 75 óbitos foram encerrados por critérios clínicos, de imagem, clínico-epidemiológico ou laboratorial, elevando para 9.116 o total de mortes.

A Prefeitura de Manaus teve uma queda no sepultamento de vítimas por Covid-19. Neste domingo (7), foram registrados 70 sepultamentos por Covid-19. O boletim acrescenta ainda que 33.802 pessoas com diagnóstico de Covid-19 estão sendo acompanhadas pelas secretarias municipais de saúde, o que corresponde a 11,92% dos casos confirmados ativos.

Atualmente há 1.855 pacientes internados, sendo 1.160 em leitos (306 na rede privada e 854 na rede pública), 642 em UTI (289 na rede privada e 353 na rede pública) e 53 em sala vermelha, estrutura voltada à assistência temporária para estabilização de pacientes críticos/graves para posterior encaminhamento a outros pontos da rede de atenção à saúde.

Comentários