Grupo de Trabalho do Crea-AM recomenda que prefeitura suspenda reparo no Viaduto do Manoa

Engenheiros estiveram no local, e prepararam um relatório para a prefeitura sobre a obra inaugurada no último dia do ano passado.

10
Foto: Divulgação

MANAUS – O Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Amazonas (Crea-AM), através do Grupo de Trabalho de Obras Públicas, recomendou à prefeitura de Manaus e à Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf), que não fosse realizado o serviço de concretagem no viaduto do Manoa, previsto para ocorrer nesta terça-feira (23), tendo em vista a necessidade de realização de perícia no local. O ofício, encaminhado na segunda-feira (22), foi atendido pelo poder executivo municipal.

O complexo viário do Manoa é de extrema importância para desafogar o fluxo de veículos na região, o qual, sabe-se, é intenso, razão pela qual todos os cuidados devem ser adotados para evitar intercorrências na obra que comprometam sua solidez e a segurança da população manauara”, diz o presidente do Conselho, engenheiro Afonso Lins, em ofício.

Na semana passada, integrantes do GT Obras Públicas, acompanhados pelo presidente do Crea-AM, eng. Afonso Lins, estiveram no local para uma primeira inspeção sobre o trabalho que vem sendo realizado. A obra, inaugurada no último dia do ano, precisou ser fechada para reparos em menos de 24 horas.

Segundo o Coordenador do GT de Obras Públicas do CREA, Eng. Civ. Robson Ferreira, o Conselho está atuando de forma proativa na questão, buscando identificar, no estrito aspecto técnico, os problemas existentes e dando sua contribuição, sugerindo soluções para viabilizar a operação daquele equipamento urbano.

Para o coordenador-adjunto do GT de Obras Públicas, eng. civ. Frank Albert, a presença do Grupo de Trabalho no Viaduto do Manoa demonstra a preocupação do Conselho com as obras que afetam o dia-a-dia de Manaus. “Essa parceria entre o gestor municipal e o Conselho de Engenharia tende a elevar o nível das obras executadas em nossa cidade e se estender a todo o estado do Amazonas”, destacou Frank Albert, que também é o presidente do Instituto Brasileiro de Avaliações e Perícias de Engenharia – Amazonas (Ibape-AM).

*Com informações a Assessoria

Comentários