publicidade
Início Amazonas Após 41 dias, greve dos professores chega ao fim

Após 41 dias, greve dos professores chega ao fim

Professores protestam por melhores salários na Assembleia Legislativa do Estado. Foto: Adriano Santos / Politizei

Adriano Santos/Politizei

Uma assembleia geral realizada pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado do Amazonas (Sinteam) neste sábado (25), decretou fim a greve dos professores que já se extendia por 41 dias. Os profissionais reividicavam reajuste salarial, extensão do vale-transporte para servidores de 40h e 60h, aumento no auxílio-localidade e reajuste no vale-alimentação.

Os professores aceitaram a proposta do Governo de reposição salarial de 4,73%, retroativo a março de 2019. Uma assembleia geral realizada na última sexta-feira (24) pelo Sindicato dos Professores e Pedagogos de Manaus (Asprom Sindical) já havia deliberado pelo encerramento da greve da categoria. 

Com isso as aulas devem voltar a normalidade a partir da próxima segunda-feira (27), e as escolas deverão repor o conteúdo perdido. O Calendário será analisado pelo Conselho Estadual de Educação. 

CONQUISTAS

Na última quinta-feira (23), a Assembleia Legislativa do Estado (ALE-AM), em sessão de discussão geral e votação única, aprovou por unanimidade o PROJETO DE LEI N.293/2019 oriundo da MENSAGEM GOVERNAMENTAL N. 69/2019 que determina: 

  • Reajuste de 4,73% a remuneração de todos os servidores da educação no Amazonas, retroativo a 1º de março de 2019;
  • Extensão do vale-transporte para servidores de 40h e 60h;
  • Aumento no auxílio-localidade de R$ 80 para trabalhadores da sede e R$ 120 para os da zona rural;
  • Reajuste no vale alimentação de R$ 450 para todos os servidores da Secretaria de Estado da Educação (Seduc);
  • Pagamento das progressões horizontais e verticais;
  • Desistência, por parte do governo, da ação judicial contra sindicato e trabalhadores; 
  • Elaboração de um calendário único para reposição das aulas.

 

RELEMBRE

Aproximadamente 500 pessoas participam de manifestação contra proposta do Governo em frente a ALEAM. Foto: Adriano Santos/Portal Politizei

A greve dos professores que agora vai entrar pros livros de história do Amazonas, teve início no dia 15 de Abril e durou 41 dias, sendo que 30 eram dias letivos. A primeira grande manifestação reuniu cerca de um mil profissionais no centro de Manaus e foi batizada de “Marcha das Sombrinhas”. 

 

publicidade

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

×

Olá!

Fale agora mesmo com nosso atendimento.

× Como posso te ajudar?
Sair da versão mobile