Vice-governador do AM, diz que apoia investigações da PF

"Apesar do constrangimento, me dispus à contribuição com a Justiça", diz Almeida em nota.

Carlos Almeida

Manaus – O vice-governador do Amazonas Carlos Almeida (PTB), foi alvo de mandado de busca e apreensão na segunda fase da Operação Sangria, divulgou nota nesta sexta-feira (9), na qual anuncia sua total disposição de colaborar com o esclarecimento dos fatos apurados pelos órgãos de investigação.

“Tenho a afirmar que, durante meus mais de 15 anos de vida pública, sempre trabalhei pela correção e defesa de direitos, ideais que me levaram à política e que sustento com veemência durante o curso deste mandato. E, justamente por não concordar com os rumos da atual administração, que (sic) me desliguei da Casa Civil no início de maio deste ano”, diz trecho da nota.

De acordo com a Polícia Federal, Almeida teria forte influência no esquema fraudulento de compra de respiradores para enfrentamento à Covid-19 no Amazonas, com sobrepreço de 133,65%.

Afirmo que não pratiquei qualquer conduta ilícita, motivo pelo qual fiz questão de esclarecê-las, de pronto e de forma voluntária, na DPF, na tarde desta quinta-feira. Ressalto que, apesar do constrangimento e do dano à imagem, entendo o contexto das medidas de busca, razão pela qual colaborei com o procedimento, e desde então, me dispus à contribuição com a Justiça“, finaliza a nota.

Comentários