fbpx
24.3 C
Manaus
sábado, 18 setembro, 2021
Patrocinado
Acessibilidade (Ouça a matéria completa)
InícioAmazonasSem oxigênio e leitos, prefeito baixa decreto de lockdown em Autazes

Sem oxigênio e leitos, prefeito baixa decreto de lockdown em Autazes

O prefeito Andreson Cavalcante decretou lockdown diante do avanço coronavírus e da falta de leitos e oxigênio para os pacientes.

Acessibilidade (Ouça a matéria completa)

AMAZONAS – Momento gravíssimo. É como o prefeito de Autazes, Andreson Cavalcante, define a situação do coronavírus (covid) no município. Como resultado, está decretado lockdown no município por seis dias a partir desta quarta-feira (27). 

Com isso, todas as atividades econômicas estão fechadas. Entre elas, as viagens de qualquer tipo de embarcação, como recreios, lanchas, balsas, e também de ônibus, táxis e mototáxis. Por exemplo, pela estrada do Rosarinho, uma via de ligação muito usada pelos moradores de Nova Olinda do Norte, município vizinho.

Conforme o prefeito, nesta quarta o sistema de saúde entrou em colapso total de ocupação, agravada pela impossibilidade de transferir pacientes para a capital Manaus por falta de leitos. Não bastasse, a reserva de oxigênio em Autazes amanheceu zerada neste dia 27.

Diante desse cenário, Cavalcante disse que o lockdown é o que pode ser feito para conter o espalhamento do vírus, impondo isolamento 100% da população. Exceção há apenas para aquisição de alimentos e remédios. 

Cavalcante, que ontem comandou uma “operação de guerra” para conseguir 40 cilindros de oxigênio medicinal, hoje declarou que o produto já se esgotou, em menos de 24 horas.

Até o momento em que anunciava o lockdown, o prefeito ainda planejava o que fazer para conseguir oxigênio porque Manaus também já não tem.

Duro, mas necessário

De acordo com ele, em pronunciamento à população, é reconhecida que a medida é dura e extrema, mas a prioridade à vida para Autazes vem antes da economia.

Além disso, os profissionais de saúde, motoristas e outros envolvidos com o atendimento aos contaminados pela covid estão no limite das suas forças, esgotados por plantões de 24 horas seguidos.

Como parte das medidas para evitar aglomerações, o prefeito suspende nesse período os pagamentos ordinários da prefeitura.

Em caso de descumprimento da ordem, Cavalcante vai agir de acordo com a lei, como lacrar comércio e cassar alvará de funcionamento.

Posso pecar por excesso, mas não por omissão”, afirmou. 

Veja pronunciamento do prefeito:

Publicado por Prefeitura Municipal de Autazes em Quarta-feira, 27 de janeiro de 2021

Comentários

- Advertisment -

Mais Lidas

Comentários

×

Olá!

Fale agora mesmo com nosso atendimento.

× Como posso te ajudar?