CPI revela esquema de superfaturamento durante gestão de David Almeida

Empresa que prestou serviços de lavanderia no Hospital Nilton Lins é suspeita de aplicar sobrepreço na realização de exames em 3 municípios do interior.

Amazonas – Na tarde desta terça-feira (04), a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) ouviu as declarações do médico João Carlos dos Santos, responsável por realizar procedimentos de saúde em 91 pacientes no ‘Barco Pai’ em 2017.

O médico foi contratado pela empresa Norte Serviços Médicos Ltda, mesma empresa que prestou serviços de lavanderia ao Hospital de Campanha Nilton Lins.

Aos membros da CPI, João declarou que cobrou R$ 78 mil para a realização dos procedimentos, e que o valor incluiu além da mão de obra pessoal, o auxílio de enfermeiros, técnicos e de equipamentos e insumos de sua propriedade.

O médico alegou ainda que não recebeu o valor correto, faltando R$ 18 mil a serem repassados.

A empresa Norte Serviços arcou apenas com o translado do médico e sua hospedagem nos 3 municípios em que o ‘mutirão’ de exames aconteceu.

De acordo com informações divulgadas pelo presidente da CPI, Deputado Delegado Péricles (PSL), a empresa recebeu a quantia de R$ 868 mil para a realização do serviço e que o pagamento aconteceu através de nota indenizatória, ou seja, sem concorrência, sem licitação e sem transparência.

Comentários

1 COMENTÁRIO

Comments are closed.