David Almeida diz que seguirá orientação de ministro e distribuirá ‘kit Covid’

Prefeito de Manaus anunciou que distribuirá remédios nas UBS para tratamento precoce.

7
Almeida
Foto: ASCOM

MANAUS – Sem oxigênio para abastecer a rede pública estadual de saúde, o prefeito de Manaus, David Almeida (Avante), pretende fazer a distribuição do ‘kit Covid’ com remédios como azitromicina, invermectina e vitaminas. Na segunda (11), o ministro Eduardo Pazuello recomendou o tratamento precoce em visita às Unidade Básica de Saúde (UBS) em Manaus para saber como está acontecendo a triagem dos pacientes.

Na noite de ontem (13), Almeida disse em entrevista à CNN que deve seguir as orientações do ministro para distribuir os remédios. “Esse tratamento é justamente para que a doença não agrave, que tem prescrição médica e que vamos estar nos próximos dias indicando para a população e fazendo a distribuição”, disse.

Antes mesmo de tomar posse como prefeito, David Almeida falava sobre a distribuição dos remédios. “Nossa intenção é distribuir medicamento, azitromicina, ivermectina, vitamina C, vitamina D, vitamina de A-Z, todo esse complexo vitamínico, pra aumentar a imunidade da população e diminuir a questão da infecção do vírus”, disse Almeida, em 29 de dezembro.

O prefeito concorda com o ministro que o tratamento precoce precisa ser feito para reduzir a demanda de pacientes nas unidades do estado, que estão lotadas. Segundo Almeida, procurando as unidades básicas assim que aparecem os primeiros sintomas e recebendo os medicamentos, pacientes deixariam de ter complicações e não precisariam ser transferidos.

O ministro Eduardo Pazuello havia dito que as UBS’s atendam em 100% e façam o tratamento precoce, com diagnóstico clínico. “Eu estou sendo bem claro sobre isso, peço desculpa pela repetição, essa vai ser nossa retórica o dia inteiro. Se eu puder rodar UBS por UBS eu vou rodar e vou perguntar do médico como tá a triagem, como ele está separando. O David já viu o Rafael ali atrás, que é o secretário nacional de atendimento e ele vai ficar aqui até isso estar funcionando”, disse o ministro.

Conforme Pazuello, os remédios devem ser distribuídos antes mesmo de as pessoas se submeterem ao teste de Covid-19. “A medicação pode e deve começar antes dos exames complementares. Caso o teste depois der negativo por alguma razão, reduz a medicação e tá ótimo, não vai matar ninguém, agora salvará no caso da Covid”, disse.

Os remédios não possuem eficácia comprovada no combate à Covid-19. O ministério da Saúde aguarda que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorize o uso das vacinas do Butantan e da FioCruz, que estão em processos de documentação para que as doses sejam distribuídas.

*Com informações a Assessoria

Comentários

2 COMENTÁRIOS

Comments are closed.