Ministro da saúde diz que vacinação de pessoas acima de 50 anos será antecipada em Manaus

Embora anunciado, ainda não foram divulgadas as datas e nem há informação se já existe algum planejamento.

17
Foto: Reprodução

MANAUS – Pessoas acima de 50 anos terão vacinação contra Covid-19 antecipada em Manaus. A afirmação veio do ministro da saúde, Eduardo Pazuello, durante sessão no Senado Federal na tarde da última quinta-feira (11) no esclarecimento sobre novas medidas adotadas contra o novo coronavírus.

Embora anunciado, ainda não foram divulgadas as datas e nem há informação se já existe algum planejamento a respeito da antecipação.

Quem vai fazer a vacinação acelerada em Manaus é o Ministério da Saúde com o Ministério da Defesa, já está combinado. Nós vamos vacinar, todos, acima de 50 anos, na primeira pernada, acelerando, sem tirar dos Estados”, disse Pazuello.

A Polícia Federal (PF) abriu um inquérito para investigar a conduta de, Eduardo Pazuello, na crise de saúde do estado. O Amazonas enfrenta um novo colapso da doença, com o maior registro de número de mortes em dois meses de 2021 do que o ano de 2020 inteiro. Foram registradas mais de 9,4 mil mortes de vítimas da Covid-19 até a última quarta-feira (10).

O ministro da saúde, afirma que, gestores locais e relatório da Força Nacional do Sistema Único de Saúde (SUS), não relataram falta de oxigênio em Manaus no começo de 2021.

Eduardo Braga (MDB), senador do Amazonas, criticou a justificativa de Pazuello e afirma que não é verdadeira.

Manaus atualmente vacina idosos a partir de 70 anos, além dos profissionais de saúde e indígenas de aldeias. O Amazonas recebeu o maior número de doses do imunizante justamente pela crise atual na saúde que o estado enfrenta.

A Prefeitura de Manaus informa em nota, que a imunização contra Covid-19 na capital está fluindo de acordo com a programação dos grupos prioritários para concluir a campanha vigente, incluindo, profissionais de saúde, idosos a partir de 70 anos, idosos a partir de 60 anos internados em estado de longa permanência e pessoas com deficiência.

A ampliação dos grupos prioritários para receber a vacina contra Covid-19, só ocorrerá com o recebimento das novas remessas de vacinas feitas pelo Ministério da Saúde (MS).

A ampliação dos grupos prioritários está condicionada ao recebimento de novas remessas de vacina, feitas pelo Ministério da Saúde (MS), segundo o órgão.

Ainda não foi confirmada a data e a quantidade de novas remessas a serem feitas pelo governo federal e, por este motivo, não é possível iniciar, de imediato, a ampliação da campanha para novos grupos”, diz nota.

Comentários