fbpx
27.5 C
Manaus
sexta-feira, 23 abril, 2021
Patrocinado
InícioBrasilRosa Weber suspende inquérito aberto pelo STJ para investigar procuradores da Lava...

Rosa Weber suspende inquérito aberto pelo STJ para investigar procuradores da Lava Jato

Decisão da ministra vale até que a Primeira Turma do Supremo julgue pedido para que investigação seja encerrada.

BRASIL – A ministra Rosa Weber , do Supremo Tribunal Federal (STF), suspendeu na noite de terça-feira (30) o inquérito aberto pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) para investigar supostas tentativas de intimidação e investigação dos ministros do próprio tribunal por meios ilegais.

A decisão vale até que a Primeira Turma do STF julgue um pedido do procurador Diogo Castor, ex-integrante da Operação Lava Jato do Paraná, para que o inquérito seja encerrado.

Ainda não há data para o julgamento. Além de Castor, são alvos do inquérito outros cinco procuradores que tiveram ligação com a Lava Jato.

Defiro a liminar postulada para determinar a suspensão da tramitação do inquérito instaurado pela Portaria STJ/GP nº 58, de 19 de fevereiro de 2021, com seus apensos e incidentes, até o julgamento do mérito do presente habeas corpus pela Primeira Turma desta Suprema Corte”, escreveu a ministra na decisão.

O inquérito foi aberto de ofício (iniciativa própria), em fevereiro, pelo presidente do Superior Tribunal de Justiça, ministro Humberto Martins.

A investigação foi instaurada dias após a revelação de uma troca de mensagens entre procuradores que atuaram na Operação Lava Jato em Curitiba. Na conversa, eles discutem pedir à Receita Federal uma análise de dados de ministros do STJ.

Em razão do foro privilegiado, os integrantes do tribunal só podem ser investigados pela Procuradoria-Geral da República, e não por procuradores que atuam na primeira instância.

As mensagens que indicavam uma investida dos procuradores sobre os ministros do STJ foram reveladas depois que a defesa do ex-presidente Luiz Inacio Lula da Silva obteve acesso ao material, aprendido na Operação Spoofing, da Polícia Federal.

A operação prendeu hackers que invadiram celulares de autoridades, entre as quais procuradores da Lava Jato no Paraná. Com base nas informações contidas nesse material, o presidente do STJ autorizou a abertura da investigação.

No fim de dezembro, o ministro Ricardo Lewandowski permitiu o acesso dos advogados do ex-presidente Lula ao material. Desde então, eles apresentam à Corte relatórios do andamento do compartilhamento. A decisão de Lewandowski foi confirmada pela Segunda Turma do STF em 9 nde fevereiro.

A Procuradoria-Geral da República defendeu que o STJ arquivasse o inquérito, mas o ministro Humberto Martins decidiu manter a apuração em andamento.

Ao STF, a defesa de Diogo Castor argumenta que o STJ não tem competência para investigar procuradores que atuam em primeira instância, uma vez que essa atribuição seria dos tribunais regionais federais (TRFs).

Comentários

- Advertisment -

Mais Lidas

Comentários

Fique sempre bem informado

Fique sempre bem informado

Receba notícias exclusivas diretamente em seu E-mail.

 
 
 
 
 

Sua inscrição foi realizada com sucesso

×

Olá!

Fale agora mesmo com nosso atendimento.

× Como posso te ajudar?