fbpx
30.3 C
Manaus
InícioBrasilEstratégia da Esquerda: Rotular Manifestação Pró-Bolsonaro como "Antidemocrática" e "Golpista"

Estratégia da Esquerda: Rotular Manifestação Pró-Bolsonaro como “Antidemocrática” e “Golpista”

PT aciona Ministério Público Eleitoral em tentativa de enquadrar ato convocado por Bolsonaro como ameaça ao Estado Democrático de Direito.

O Partido dos Trabalhadores (PT) adotou uma estratégia incisiva ao protocolar uma representação no Ministério Público Eleitoral (MPE) contra o ato convocado pelo ex-presidente Jair Bolsonaro para o dia 25. A investida visa classificar o evento como antidemocrático e apontar possíveis crimes cometidos pelos participantes.

Na representação, o PT solicitou ao MPE medidas para prevenir e investigar potenciais violações ao Estado Democrático de Direito, financiamento irregular e propaganda eleitoral antecipada. O partido expressou temores de que a manifestação possa resultar em eventos semelhantes à invasão dos Três Poderes em Brasília, ocorrida em 8 de Janeiro.

Por outro lado, a defesa de Bolsonaro já havia acionado o Supremo Tribunal Federal (STF) para garantir sua participação e discurso durante o evento. O advogado do ex-presidente, Jeffrey Chiquini, argumentou que a presença e o discurso de Bolsonaro são exercícios legítimos da liberdade de manifestação e expressão, sujeitos à proteção constitucional.

A tentativa do PT de desqualificar a manifestação como golpista também se reflete em publicações nas redes sociais de importantes figuras do partido. O deputado Odair Cunha (MG) acusou Bolsonaro de buscar “comparsas” para um ato golpista, enquanto o deputado Lindbergh Farias (PT-RJ) caracterizou a manifestação como uma tentativa de “pressionar as autoridades judiciais e a polícia” para manter sua liberdade.

A presidente do PT, Gleisi Hoffmann, não poupou críticas a Bolsonaro, alegando que a manifestação não visa à sua defesa, mas sim à “contraposição ao devido processo legal”. Especialistas políticos interpretam essas ações como uma estratégia para fragilizar Bolsonaro em um momento de relativa força política, visando minar sua capacidade como cabo eleitoral e deixá-lo em uma situação de vulnerabilidade.

Comentários

- Advertisment -

LEIA MAIS